EDIMBURGO - PARTE I

 

 

Cinzenta, fria e húmida são três adjectivos que descrevem a cidade de Edimburgo. Mas a estes acrescente-se fantástica!

Edimburgo não estava no top das cidades a visitar, mas, após esta viagem, passou para o topo das cidades que já visitei. Tudo parece conspirar a seu favor e até o céu cinzento faz realçar a sua beleza.

Edimburgo é uma cidade antiga. Pelas suas ruas passaram muitas vidas e contínua a ser assombrada por muitas das suas histórias. Sim, Edimburgo é uma cidade assombrada e a quantidade de fenómenos paranormais é tal que que até existem tours pelos cemitérios à noite (não tive coragem de participar nesta experiência, mas de dia andei pelos cemitérios antigos - o Greyfriars graveyard e o Canongate Kirkyard).

 

A parte antiga da cidade é constituída pela Royal Mile que se estende desde o Castelo de Edimburgo até ao Palácio de Holyroodhouse. A Milha Real é formada por várias ruas nas quais se erguem altos edifícios de pedra, cuja cor cinzenta se funde com o cinzento do céu. Além de vários pub's e lojas de recordações, existem museus e monumentos a visitar (como a St. Giles Catedral). Dos museus destaco o The Writer's Museum dedicado a três grandes escritores escoceses: Robert Burns, Sir Walter Scott e Robert Louis Stevenson. O museu é muito pequenino e conta com objectos pessoais dos escritores. 

O castelo de Edimburgo é o cartão de visita da cidade e um lugar a não perder. É constituído por vários edifícios que incluem a St. Margaret's Chapel, a residência real e a prisão (na qual foi reconstituída a vida dos presos).

 

Após caminhar pelas ruas da cidade, nada melhor que parar para um lanche na casa de chá Clarinda's, que fica na Canongate. Clarinda era uma poetisa e desenhista, musa do poeta Robert Burns, e o nome da casa é uma forma de homenagear esta personalidade escocesa. O sítio é sui generis. Ao entrar temos a sensação que estamos na casa de alguém. As paredes têm pratos e retratos antigos pendurados e um papel amarelo com flores azuis. As mesas têm toalhas de crochet brancas e existe uma mesa com vários bolos caseiros expostos (de gengibre, cenoura, limão, scones, tartes). Com o frio que já nesta altura do ano se fazia sentir, um chá quente (adorei o de framboesa!) é ideal para ficar no interior a contemplar a vida que segue lá fora.

  

   

 

A Royal Mile e o Castelo de Edimburgo

 

 

 

 

 

                           St. Giles Catedral

 

                           Castelo de Edimburgo

 

 

 

 

                    The Writer's Museum

 

                            Clarinda's 

 

 

publicado por Maria Purpurina às 21:03 | link do post | comentar